segunda-feira, 5 de março de 2007

Incendiária

Uma incendiária
Armada com fósforos molhados
perdida em uma torrente
De ventos de ilusão,
Nascentes de ondas modernas,
Mau formadas,
Sujas, venenosas...
Vaga solitária
Pobre incendiária,
Que já não tem
O que queimar
Em um mundo
que consome-se em sua própria
Dor civilizada,
Em sua desastroza existência
Em sua ignorância,
Em seu egoismo...
Foge, foge, calada...
Por entre a escuridão,
Oh, doce incendiária,
Pois aqui não há mais o que detruir...
Este mundo já boia no éter do caos...

Um comentário:

Danila disse...

"Aqui não tem mais nada o que destruir"
Nossa que lindo!
Anna amo tudo o que você escrevi,uma coisa mais linda do que a outra!
Amo te
Amora
=@@
Bloody Kisses