terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Cinema - Tim Burton


Enquanto que no passado muitos se tornaram diretores mais por força das circunstâncias do que por empenho próprio e direcionado, hoje é possível encontrar cineastas que foram a luta movidos exclusivamente pelo amor à Sétima Arte. Caso de Tim Burton.

Esse norte-americano nascido em Burbank, Califórnia (em 25 de agosto de 1958), quando garoto, passava a maior parte do seu tempo assistindo filmes de horror e lendo a obra de Edgar Allan Poe. Nada mais coerente com o estilo e o clima da maioria de seus filmes.

Seu primeiro envolvimento com o cinema deu-se em 1980 por conta e uma bolsa de estudos da Disney que o fez estudar California Institute Of The Arts. Como aprendiz de animação, foi trabalhar nos estúdios da Disney, mas em um período de vacas magras, de pouca criatividade. Era a época de ''O Cão e a Raposa'' (1981). Neste desenho, participou da equipe, mas sem ter seu nome creditado.

A experiência o fez ganhar estímulo para levar avante sua primeira criação: Vincent. Em 1982, ele apresentou este pequeno filme (seis minutos) em preto e branco e com animação em estilo gótico e que prestava um tributo ao ator Vincent Price que atuou como narrador. No mesmo ano fez para a TV uma versão experimental da história de Hansel & Gretel (João e Maria, no Brasil).

Em 1984, Burton dirige um filme de ação com 27 minutos, Frankeweenie, que permaneceu inédito porque os produtores consideraram inconveniente para as crianças. Mesmo assim, ele foi contratado para dirigir ''Alladin and His Wonderful Lamp'', feito para a TV naquele ano.

Porém, foi depois de ver o lado transgressivo e a qualidade de Frankeweenie que o comediante Paul Reubens (mais conhecido como Pee-Wee Herman) decidiu por convidar Burton para dirigir sua estréia no cinema em 1985. Isso se deu em ''As Grandes Aventuras de Pee-Wee'' (Pee Wee’s Big Adventure). Nesse mesmo ano, ele dirigiu ''The Jar'', um episódio do programa de TV Alfred Hitchcock Presents.

O seu apego ao horror com sua habilidade para a comédia Burton conciliou três anos depois em ''Os Fantasmas se Divertem'' (Beetlejuice ) que começa com um casal morrendo. Logo, tornam-se os fantasmas da casa de campo onde residiam. Vencedor do Oscar de maquiagem, foi um sucesso de bilheteria que consolidou o nome do diretor junto aos grandes de Hollywood.

Por isso - e levando em conta o seu estilo gótico - foi contratado para fazer ''Batman'' em 1989, o primeiro de uma nova safra com o conhecido herói das histórias em quadrinhos. Outro grande êxito e que deu realce ao maligno Curinga, na atuação de Jack Nicholson. Michael Keaton fez o papel-titulo nesta produção laureada com o Oscar de Melhor Direção de Arte e também na continuação, ''Batman - O Retorno'' (Batman Returns), feito em 1992.

Dois anos antes, Burton realizou ''Edward Mãos de Tesoura'' (Edward Scissorhands), outra demonstração expressiva da sua criatividade no terreno do humor negro. Com Johnny Deep no papel-título, foi o primeiro dos três filmes que fez com esse ator. O segundo, ''Ed Wood'' é a maior prova do amor ao cinema que existe em Burton. Ao recriar parte da saga vivida pelo diretor de cinema Edward Wood Jr - mais conhecido como Ed Wood - que de fato existiu nos anos 50 e 60, ele não só fez o mundo lembrar um modesto cineasta que ficou estigmatizado como o pior de todos os tempos, mas também homenageou Bela Lugosi, um dos maiores atores do terror que passou por Hollywood. O húngaro Lugosi possibilitou à Martin Landau o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante de 1994. O filme também ganhou o troféu na área de maquiagem.

Os elogios recebido da crítica mundial por ''Ed Wood'' ficaram ausentes diante de ''Marte Ataca!'' (Mars Attack), comédia algo pesada que fez em 1996. Com um vasto elenco que tinha Jack Nicholson e Glenn Close entre outros, não foi bem sucedida também na bilheteria. Em seguida, o cineasta empenhou-se em fazer uma nova versão do ''Superman'', com Nicolas Cage. Depois de vários meses de trabalho, viu seu projeto ser cancelado pelos grandes estúdios.

Mas Burton - que também atuou como produtor em algumas séries de TV - deu a volta por cima e retornou em 1999 em grande estilo com ''A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça'' (Sleepy Hollow). Conta uma história ambientada em 1799, quando o detetive da polícia Ichabold Crane é designado para investigar uma série de assassinatos na pequena e estranha Sleepy Hollow. Os crimes são atribuídos à um cavaleiro sem cabeça, algo que o racional Crane recusa-se a aceitar.

Com Johnny Depp no papel de Crane, Burton fez um belíssimo filme, dando vazão ao seu estilo gótico. Além disso, de maneira legítima e pessoal, deixou transparecer toda a influência recebida dos antigos filmes de horror feitos pela produtora Hammer na Inglaterra dos anos 60. Ele até incluiu no vasto elenco o lendário Christopher Lee que viveu Drácula e outros personagens similares e terríveis nos filmes daquela fase.

Sombrio do começo ao fim e com uma estupenda visualização, ''A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça'' arrecadou mais de 100 milhões no seu lançamento nos Estados Unidos e foi finalista em três categorias do Oscar: fotografia, figurino e direção de arte. Mas só venceu nessa área.

Burton continua, mais do que nunca, a ser um cineasta festejado. O poeta do humor negro, como alguns o chamam, dirigiu recentemente sua interpretação do clássico da ficção científica ''Planeta dos Macacos''. O filme foi um sucesso nos Estados Unidos, tanto de público quanto de crítica. É um gótico, freak e outsider conquistando os primeiros lugares das bilheterias mundiais.


FILMOGRAFIA

COMO DIRETOR:

Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet (2007) (Longa-metragem)
A Fantástica Fábrica de Chocolate (2005) (Longa-metragem)
A Noiva Cadáver (2005)
Peixe Grande e Suas Histórias Maravilhosas (2003) (Longa-metragem)
Planeta dos Macacos (2001) (Longa-metragem)
A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça (1999) (Longa-metragem)
Marte Ataca! (1996) (Longa-metragem)
Ed Wood (1994) (Longa-metragem)
Batman - O Retorno (1992) (Longa-metragem)
Edward Mãos de Tesoura (1990) (Longa-metragem)
Batman (1989) (Longa-metragem)
Os Fantasmas se Divertem (1988) (Longa-metragem)
As Grandes Aventuras de Pee-Wee (1985)

COMO PRODUTOR:

A Noiva Cadáver (2005)
James e o Pêssego Gigante (1996)
Marte Ataca! (1996) (Longa-metragem)
Batman Eternamente (1995) (Longa-metragem), produtor
Ed Wood (1994) (Longa-metragem)
Um Gaiato no Navio (1994) (Longa-metragem), produtor
O Estranho Mundo de Jack (1993) (Longa-metragem), produtor
Batman - O Retorno (1992) (Longa-metragem), produtor
Edward Mãos de Tesoura (1990) (Longa-metragem)


COMO ROTEIRISTA:

A Noiva Cadáver (2005)
O Estranho Mundo de Jack (1993) (Longa-metragem), História e personagens
Edward Mãos de Tesoura (1990) (Longa-metragem)
Os Fantasmas se Divertem (1988) (Longa-metragem)

Um comentário:

Renan disse...

Saudações. Primeiramente gostaria de te parabenizar pelo blog. Eu tbm sou gótico e admiro muito Tim Burton. O visual que ele deu ao Pinguim do Batman ficou fantastico. A lenda do cavaleiro sem cabeça está entre os melhores filmes góticos, junto com entrevista com vampiro e dracula de bram stoker. O estranho mundo de jack e noiva cadaver não tem nem o que falar, obras primas da animação em stop motion. Só quero ver a versão de Alice no pais das maravilhas em 3D que ele está filmando atualmente. Com certeza vem mais uma obra-prima por ai...